Kathryn Newton fala sobre “Freaky” para a ELLE Magazine
Postagem por: KNBR 17/11/2020 às 7:33

Kathryn Newton concedeu uma entrevista para a ELLE Magazine onde fala um pouco mais sobre seu filme “Freaky” e o cancelamento de “The Society“. Confira a matéria traduzida abaixo:

Quando Kathryn Newton assumiu o papel principal de Millie na mais recente comédia de terror de Blumhouse, Freaky, ela sabia que estava se inscrevendo para um pouco de sangue e nojeira, desde o aperfeiçoamento da arte de usar uma motosserra até perseguir possíveis vítimas. Ela não esperava a reação que teve no set.

“Eu sempre esquecia que estava coberta de sangue, e estava conversando com alguém e tomando chá e eles realmente não olhavam para o meu rosto”, lembra ela. “Eu fico tipo, ‘O que-?’ E eles dizem, ‘Você parece um pouco assustadora. Há muito sangue em você agora.’ Eu fico tipo, ‘Oh meu Deus, eu esqueci. Eu pareço um assassino.'”

Millie de Newton não começa como o grande mal do filme de terror – bem, tecnicamente não. Quando conhecemos a heroína adolescente, ela é uma jovem dócil apenas tentando sobreviver ao ensino médio. Mais tarde, depois de um jogo de futebol em que ela torceu como mascote da escola, ela é caçada pelo infame Açougueiro de Blissfield (Vince Vaughn). Mas, em vez de morrer, Millie acorda na manhã seguinte dentro do corpo do assassino em série, e agora Newton está interpretando o Açougueiro disfarçado de adolescente (sim, muito Garota Veneno). É aí que a diversão começa para Newton, quando Millie como o Açougueiro assassina seus colegas de classe a torto e a direito de algumas das maneiras mais ridículas imagináveis.

Esta não é a primeira vez que a atriz de 23 anos flexiona suas habilidades cômicas. Ela estrelou o sucesso atrevido-mas-sincero Blockers de 2018 e interpretou uma treinadora Pokémon do Psyduck em Pokémon Detective Pikachu, enquanto seu trabalho mais dramático na televisão inclui Big Little Lies, Supernatural e The Society. ELLE.com conversou com a atriz para falar sobre como Freaky subverte tropas cansadas, assassinando Alan Ruck no filme e o cancelamento de The Society.

Quando se tratou de atuar como o Açougueiro de Blissfield dentro do corpo de Millie, de que inspiração você tirou?
Recebi muito de Vince. Foi a primeira vez que consegui criar um personagem com outro ator. Foi uma experiência estranha; normalmente, eu faço meu trabalho sozinha e em colaboração com o diretor. Para este, nós três estivemos envolvidos na criação de Millie e o Açougueiro. Quando eu estava interpretando o Açougueiro, eu sempre ficava muito firme em meus pés e olhava para minhas botas – nós escolhemos essas botas de combate muito legais – e realmente me concentrava em minhas cenas. Se eu estava prestes a matar alguém com uma serra elétrica, eu pensava: “Bem, é melhor eu aprender a usar essa serra elétrica, porque acho que o Açougueiro saberia como”. Eu ouvi muito Nirvana e AC/DC para me colocar na mentalidade certa.

Você conhecia o filme Garota Veneno?
Obviamente! Você está de brincadeira? Minha infância. Eu adoro Garota Veneno, adoro Sexta Feira Muito Louca, adoro Halloween, adoro Sexta Feira 13. Esses eram filmes que ficaram comigo enquanto eu crescia. Quando eu assisti Freaky pela primeira vez, me senti assim. Parecia aquele filme clássico que é fácil de assistir, faz você sorrir, você se sente bem.

Freaky é uma fusão divertida de todos esses filmes.
É isso que adoro em Freaky. Fazer parte de um filme que tem todas essas coisas que você ama, mas também esse frescor. É um reflexo dos tempos em que vivemos. Não é datado, faz sentido. As piadas e as coisas que alguns dos personagens dizem, você vai se ver no filme. Você pode não ser Millie ou o Açougueiro, mas vai ver seus amigos nele. Você vai ver o mundo em que vivemos agora.

As pessoas estavam adorando aquela frase do trailer: “Você é negra, eu sou gay. Estamos tão mortos!”
É uma fala icônica e tão engraçada porque é tão óbvia – nós a estamos destruindo.

Por que é tão refrescante ver alguns desses filmes de terror virados de cabeça para baixo?
Existem tantas coisas que ele faz. Até minha personagem Millie, eles a apresentam no trailer como a garota que pensa que é uma nerd ou algo parecido, mas realmente não é isso. Ela é apenas alguém que não acredita em si mesma, então está quebrando o molde de ‘sua aparência define quem você é’. É sobre como ela se sente por dentro. Isso é algo que precisamos começar a perceber: não importa sua aparência, se você não se sente bem consigo mesmo. Millie é realmente insegura e não importa o quão ótima seus amigos pensem que ela é – ela ainda não está pronta para sentir todo o seu poder. Todo mundo passa por isso na vida; todos nós já lidamos com valentões. Se você puder ser paciente e acreditar em si mesmo, aquelas coisas pelas quais você sofreu bullying quando era mais jovem são na verdade o que o torna super único e especial, se você puder mantê-las.

Se você ficasse presa no corpo de um cara de meia-idade por um dia, o que você faria?
Eu ia ao banheiro fora toda vez que tivesse que ir. Eu sou uma jogadora de golfe e essa é a coisa pela qual fico tão brava – todos esses homens sempre indo ao banheiro em uma árvore. Quando será a minha vez de fazer isso?!

Qual foi o seu assassinato favorito no filme?
Oh cara, eu amei matar Alan Ruck. Dividi-lo ao meio foi muito legal. Foi um dia tão divertido. Não é fácil fazer aquelas cenas de luta, mas me senti mais durona quando estava usando a motosserra.

Algo sobrenatural ou estranho aconteceu no set?
Na verdade, tivemos uma sexta-feira dia 13 enquanto estávamos filmando e todas as luzes se apagaram. Estávamos no campo de futebol, aquela cena com Vince onde ele pega Millie pela primeira vez, e todos nós pensamos: “Este é um bom presságio. Isso é meio que boa sorte.” Sexta-feira 13, sempre foi um dia de sorte para Blumhouse, e quando você está fazendo um filme de terror, lembro-me em Atividade Paranormal 4, pouco antes da minha última audição, minhas luzes se apagaram na minha casa na noite anterior. Às vezes, há essas coisas fortuitas que são realmente mágicas.

Como você tem passado a quarentena?
Tenho tanta sorte de ter três poodles. Eu acordo todas as manhãs e sempre sou grata por tê-los. Tenho muito mais tempo de manhã para desfrutar do meu café. Montei um pequeno espaço na minha casa: joguei um edredom e um travesseiro no chão e é onde faço minha ioga de manhã. Estou aprendendo muito sobre mim.

Eu também estou lendo muito. Acabei de terminar Everything I Know About Love de Dolly Alderton e este outro livro chamado Anam Cara, é um livro celta sobre almas gêmeas. Estou comprando livros e realmente lendo os livros, terminando-os, o que nunca consigo fazer. Estou sempre lendo roteiros para possíveis projetos futuros, mas isso não é o mesmo que reservar um tempo para me acalmar. Eu também maratonei The Marvelous Mrs. Maisel finalmente. Eu assisti duas vezes porque achei muito bom.

Em agosto, foi anunciado que The Society não voltaria para uma segunda temporada. Como você lidou com essa notícia?
Fiquei com o coração partido porque realmente queria terminar a história de Allie. Fiquei impressionada com a quantidade de amor que a série estava recebendo após o cancelamento. Isso me fez sentir que realmente fizemos algo que teve um impacto, do qual eu realmente não estava ciente. Eu sabia que as pessoas realmente gostavam da série e havia um fandom, mas eu não sabia quantas pessoas ficariam com o coração tão partido, incluindo eu e todo o meu elenco. Ao ver seus rostos e todas as lágrimas, fiquei triste. Mas sou muito grata pela família que ela criou para mim; esse elenco, somos todos tão jovens em um momento tão importante de nossas vidas. Aprendemos muito naquela série. É um grupo incrível de jovens atores, de Toby Wallace a Alex Fitzalan. Eu sei que vou conhecê-los para sempre nesta carreira e mal posso esperar para ver o que eles farão a seguir. The Society fez muito por mim em minha carreira, então sou grata pelo que ela me deu.

Se você, como Kathryn, fosse morta em um filme de terror, como você gostaria que acontecesse?
Oh, teria que ser da maneira mais épica possível, tipo rasgada em pedaços ou explodir por dentro. Não pode ser apenas simples e você está morta. Tem que ser icônico.

Fonte: ELLE

DESENVOLVIDO POR lannie d.