Kathryn Newton concedeu uma entrevista ao site Sy-Fi Wire onde falou sobre seu novo filme “The Map Of Tiny Perfect Things” e sobre o cancelamento de “The Society”.

Confira a entrevista traduzida abaixo:

Ao se preparar para seu papel no filme The Map of Tiny Perfect Things, Kathryn Newton definitivamente fez seu dever de casa. Ela estudou de perto o Feitiço do Tempo, é claro, e também assistiu a um par de filmes tonalmente relevantes de Michel Gondry, Eternal Sunshine of the Spotless Mind e Mood Indigo (“agora um dos meus filmes favoritos”, disse ela ao SYFY WIRE). Newton então sugeriu algumas possibilidades surreais para sua personagem, uma adolescente chamada Margaret, mas elas não deram certo com os cineastas – ninguém conseguia ficar atrás de Margaret aparecendo de repente em um vestido de noiva, sem explicação – mas ela foi capaz de personalizar o armário de Margaret com algumas de suas próprias roupas.

Será que ela trará tantas preocupações quanto à indumentária para a personagem de Cassie Lang em seu próximo filme não tão pequeno, Homem-Formiga e a Vespa: Quantumânia? Infelizmente, ela não tem permissão para falar sobre esse filme ainda. Em vez disso, ela conversou com SYFY WIRE sobre a filmagem do novo filme Amazon Prime, testemunhando coisas minúsculas perfeitas na vida real e suas esperanças de reviver sua série cult cancelada da Netflix, The Society.

Graças à pandemia, você sente que a vida que viveu no filme está acontecendo agora?
Quando você está gravando um filme em locações, você meio que cai em uma bolha. O tempo passou em um piscar de olhos e agora o tempo está se repetindo e estou de volta ao ponto de partida. Quando terminamos a filmagem principal, era no final de março, e tínhamos dois ou mais dias para filmar quando tivemos que parar. Eu estava tipo, “Não quero ir embora. Só quero ficar nessa bolha. Não quero ter que ir para Los Angeles e lutar por papel higiênico na Whole Foods.”

Mais tarde, você revisitou aqueles dias perdidos de filmagem. Como retomar seis meses depois afetou essas cenas?
Em nosso último dia de filmagem antes do início da pandemia, nosso diretor Ian Samuels me pediu para fazer uma cena de atendimento telefônico. Ele disse: “Tínhamos que fazer isso caso não pudéssemos voltar e fazer a cena do aeroporto.” Fiquei com medo de não podermos voltar, porque aquela cena do aeroporto é um momento muito importante para contar a história. Felizmente, pudemos fazer a filmagem com segurança mais tarde. E foi tão divertido revisitar o filme depois de ficar longe dele por um minuto. É como ver um melhor amigo que você não vê há um tempo. Era como se o tempo não tivesse passado.

O matemático de Cambridge John Littlewood inventou algo chamado Lei de Littlewood, que diz que se você estiver prestando muita atenção ao mundo ao seu redor, deve testemunhar um milagre – ou uma coisa minúscula perfeita – a cada mês. Ou a cada 33 1/3 dias, se formos estritamente precisos. Qual foi a sua coisa perfeita neste mês? Ou durante a filmagem?
Posso pensar em um agora, quando estávamos filmando, e foi quando Kyle Allen e eu estávamos sendo Mark e Margaret e nos beijamos pela primeira vez. Há uma linha no roteiro que diz que Margaret tem um cabelo preso na boca, e isso realmente aconteceu comigo quando estávamos filmando! Você não pode inventar coisas assim! Conseguimos essa cena em uma tomada. Eu considero mágica quando coisas assim acontecem, sabe? Como se fosse um pequeno milagre ter acontecido. Eu estava jogando bolas de golfe ontem com meu pai, e ele realmente acertou uma boa tacada. Isso foi um milagre.

Por falar em golfe, trabalharam em algumas referências aos seus interesses em outros projetos. Em Supernatural, eles chamaram você de Biker Barbie e escreveram em algum mini-golfe. Em Freaky, eles chamavam você de Murder Barbie e escreviam sobre golfe. Você discutiu a inserção de alguma coisa aqui?
Isso! Golfe é algo que sempre surge para mim, e acho que significa mais para mim do que qualquer outra pessoa que esteja fazendo o filme. No meu primeiro encontro com Ian, ele me perguntou: “O que você acha que Margaret gosta?” Eu pensei, “Eu acho que ela gostaria de anime.” Algo estranho assim muda tudo. Eu amo anime. E há coisas assim que são realmente importantes para criar uma personagem e torná-la especial. Você não quer que ela seja uma garota maníaca. Ela era a garota que tinha certeza de quem ela era, até o ponto de querer ser uma especialista em missões da NASA. Ela quer ser astronauta. Eu pensei que era muito legal. Talvez tenha havido um dia em que pensei que poderia fazer isso. Minha mãe ainda acha que eu poderia fazer isso. Mas Margaret é assustadoramente inteligente. Ela não é influenciada por outras pessoas. Eu reajo às pessoas mais rapidamente do que ela. Gosto de absorver as pessoas, assumir suas personalidades e meio que me tornar elas. Margaret é mais como, “Estou no meu caminho”.

Quando você estava na escola, física e cálculo eram algumas de suas melhores matérias. Então, como você entendeu a física teórica da anomalia temporal? A quarta dimensão, a singularidade, todas essas coisas? Ou mesmo como o loop temporal pode afetar o universo em uma escala maior, com buracos negros e quasares se reiniciando a cada dia?
Bem, eu senti que este filme lida com coisas reais em uma anomalia temporal, mas também lida com a emoção de se sentir como se estivesse em outra dimensão, revivendo a mesma coisa continuamente. Captura como eu me sentia quando era adolescente, quando minha aula de matemática de repente pareceu uma eternidade, sabe?

Eu amo o quão importante as coisas parecem quando você é jovem porque sua percepção é diferente. Eu me seguro nisso. Ainda dou grande importância ao nada. Ainda sou apenas uma criança tentando crescer. Para Margaret, a coisa mais difícil e mais difícil de toda a sua vida acontece com ela em uma idade jovem. Como ela vai seguir em frente para que possa experimentar o amor novamente? Acho que você tem que deixar seu passado para trás para continuar crescendo.

Fazendo uma história em loop temporal, os cineastas às vezes conseguem economizar dinheiro na troca de roupas, já que os personagens tendem a usar as mesmas coisas continuamente. Aqui não. Margaret usa roupas diferentes, mesmo que seja sempre no mesmo dia. Tenho a impressão de que você pode estar vestindo suas próprias roupas …
Estou muito grata que nossa figurinista me deu muita liberdade para criar a Margaret do jeito que eu queria. Às vezes, nos filmes, eles só querem vestir jeans skinny e uma camiseta, e eu dizia, “Não. Essa garota é legal”. Além disso, sua história lida muito a sério com sua mãe, então eu queria que fosse como se ela estivesse usando algumas das roupas de sua mãe. Peguei várias peças do meu armário para vestir: o vestido azul, a calça verde, o suéter estrela que comprei na Top Shop. Eu diria que cerca de metade das roupas de Margaret são do meu próprio armário, o que é meio engraçado, porque agora não posso mais usar essas roupas. Elas são de Margaret. Ela é apenas uma personagem muito específica, e eu senti que estava voltando para o meu eu da oitava série, com a vibe como, “Eu sou fofa, mas não me toque porque eu vou morder.” O moletom azul, porém, não era meu, mas roubei do set porque é muito fofo!

A petição para trazer de volta The Society está alcançando a marca de 100.000 assinaturas. Ainda é possível #SaveTheSociety?
Se eu aprendi alguma coisa, é que se um fandom quer muito algo, isso vai acontecer. Eu vejo a petição todos os dias. As pessoas querem que esses personagens terminem essa história.

Me faz sentir apenas parte de algo maior, sabe? Fazíamos parte da vida de alguém. Isso significa muito. Do meu jeito egoísta, eu adoraria ver Allie e Harry ficarem juntos. Não quero que sua história de amor termine. E eu quero ver Allie ser rainha mais uma vez. Espero que os fãs saibam o que aconteceu, porque tínhamos todos os episódios escritos, então alguém por aí sabe o que está rolando. Eu não, entretanto. Eles nunca me deram o roteiro, então estou morrendo de vontade de saber tanto quanto os fãs.

Tem que haver uma maneira de continuar. Talvez outra plataforma de streaming. Talvez um podcast.
É o que venho dizendo! Amazon, você está ouvindo?

Fonte: Sy-Fi Wire

DESENVOLVIDO POR lannie d.