Kathryn concedeu uma entrevista para a InStyle Magazine onde fala sobre Big Little Lies, The Society e sua paixão por golfe. Confira traduzido abaixo:

Kathryn Newton está apenas começando.

E por começando, eu quero dizer, continuando sua lista já pesada de papéis em filmes de Hollywood como Lady Bird, Three Billboards Outside Ebbing, Missouri, Blockers, e Ben Is Back. E, e depois de terminar sua participação em Halt and Catch Fire da AMC e Supernatural da CW, ela estreou como filha de Reese Whiterspoon em Big Little Lies e conseguiu um papel principal em The Society da Netflix – que saiu no mesmo dia que seu filme Detetive Pikachu. Já mencionei que ela não tem nem 23 anos ainda?

Nada demais.

Conversamos com a estrela do verão sobre medos da adolescência, ter Reese Whiterspoon como mentora (e Julia Roberts) e porque ela acha que é um ótimo momento para jovens mulheres em Hollywood. E mais, uma pequena conversa sobre chinelos da Gucci e The Office.

Aviso: Alguns Spoilers de The Society a seguir.

InStyle: Como é um dia normal na sua vida?
Kathryn Newton: Eu sempre, mesmo que esteja trabalhando ou não, acordo com uma pilha de poodles, porque eu tenho três poodles e eles dormem comigo – um no topo da minha cabela, um perto de mim e outro nos meus pés. Eu tento começar o dia longe do meu telefone o máximo que consigo, e então eu desço e levo meu cachorro para brincar, e então eu tenho essa nova máquina de expresso que o diretor de Detetive Pikachu me deu como presente de encerramento das gravações, então eu tomo café todos os dias.

Eu começo aí e então é alguma reunião ou prova de roupa que tenho que fazer, ou ir para o set. Depende do que está acontecendo no momento, mas eu sempre tenho meus poodles pela manhã.

Ouvi que você é uma golfista ávida? Você ainda joga?
Sim! Eu jogo bem mais quando tenho mais tempo. É algo que eu sempre fiz e levava muito a sério no ensino médio, e eu estava vendo como poderia ir para a faculdade com uma bolsa de golfe. É um objetivo meu virar profissional, mas agora eu só jogo em eventos de caridade e estou trabalhando na minha própria linha de golde então eu quero continuar jogando.

É algo que eu sempre fiz por diversão mas eu amo o aspecto de moda também. Ninguém entende isso, mas eu acho que roupas de golfe são fofas então talvez seja por isso que eu goste tanto, não totalmente ser uma atleta competitiva mas também o estilo disso.

Espere, me conte mais sobre essa linha de golfe!
Eu tenho esses desenhos e ideias, eu quero fazer umas peças, e eu gosto muito de calças de corrida – e eu sempre uso elas no campo de golfe, então quero criar um par que seja apropriado para um torneio que seja chique mas confortável.

Você atua desde que tinha 4 anos de idade. Você já ansiou por uma vida “normal”?
Eu estava pensando nisso, porque eu sempre penso que minha vida É normal. É normal para mim, e meus amigos que tem minha idade – todos temos as mesmas coisas acontecendo. Eu e minha melhor amiga, sempre passamos pelas mesmas coisas só que de maneiras diferentes, então eu não anseio por uma vida normal, eu gosto dessa. [Risos]

Eu não tenho muitos amigos atores, meus colegas de elenco são meus amigos mais próximos, mas eu tenho muitos amigos que são do ensino médio e crescer continuando amiga deles, que nunca me viram atuar em nada, é meio engraçado.

Eu tive a oportunidade de ir para a faculdade e ser “normal” e eu escolhi fazer Big Little Lies invés disso, e minha vida não é a mesma desde então, então é normal para mim mas eu não trocaria por nada.

Como foi sua experiência no ensino médio? Você trabalhava e ia para a aula?
Sim! Eu sempre fui muito nerd, sempre amei ir para a escola. Eu frequentei uma escola católica para meninas na Flórida e então fui para a Notre Dame High School em Sherman Oaks, Califórnia. Eu concorri a presidente de classe quando era caloura e dei Kit-Kats e camisetas para as pessoas, e ninguém sabia quem eu era porque eu perdia muitas aulas por causa do trabalho. Mas o golfe me deu meu grupo de amigos, meus amigos mais próximos são o meu time de golfe.

Sua personagem em The Society é uma líder – você se considera uma na vida real?
Bom acho que é meio engraçado que ninguém votou em mim para presidente de classe na vida real! [Risos] Eu não acho que sou uma líder. Ninguém me ouve na vida real! É meio que um sonho virando realidade, eu gosto de interpretar a Allie e ter essas cenas na igreja onde todos estão olhando pra mim e eu tenho toda a atenção, porque isso não acontece na vida real, então foi divertido.

O que você achou da finale? O que você acha que acontece com sua personagem Allie?
Acho que a Allie aprendeu muito no jogo do poder, e sabe o quão difícil é seu trabalho, e nem todo mundo aguenta. E acho que ela não está tão preocupada, acho que ela tem confiança suficiente nela mesma para saber que tudo pode desmoronar nas mãos de alguém como a Lexie.

Teve esse sentimento na última cena onde eles estão sendo levados no carro, eu pensei ‘Hmm, você não me pegou ainda’. Eu não sei se já pegaram ela, e eu não sei se ela quer ser a líder de novo. Nunca foi assim pra Allie, ser o rei. É mais sobre a bondade na sociedade e eu acho que ela está mais preocupada com isso do que todo o resto. Não é sobre ela estar no poder.

O que você pode nos contar sobre a cena do sorvete em Big Little Lies?
Eu posso contar que levou três tentativas para a Reese acertar, mas deixa eu te contar, ela ACERTOU a Meryl com aquele sorvete.

Você pega essas personagens que tem certa inocência de primeira e então vão para caminhos de certa escuridão ou maturidade – o que te leva a papéis como esse?
Eu sou muito levada pelos personagens nos projetos que escolho. Interpretei uma adolescente em Big Little Lies, e Abigail é parecida comigo mas ao mesmo tempo não é. Não sou nada como nenhum dos meus personagens, mas sou uma adolescente, e eu venho tentando me descobrir.

Uma personagem como a Allie não aparece muito frequentemente. Ela pensa que sua vida está definida e ela não precisa fazer nada, mas então tudo muda e ela tem que crescer. Muitas pessoas tem que fazer isso na vida real também, precisam aprender a ter controle de suas vidas.

O que você espera ver mais quando se trata de filmes e séries sobre jovens meninas?
Adolescentes não tem apenas uma dimensão e eles não são esteriótipos. Eles não são só irritados e mimados e bravos com o mundo. Eles são humanos tentando entender o sentido da vida e porque estamos todos aqui. E talvez nunca descobriremos, mas quando você é jovem, é quando você tem mais tempo para contemplar essas coisas.

Em uma série como The Society, você se relaciona com cada personagem porque eles não são quem você pensa que são a primeira vez que os vê. Então eu espero que na TV e cinema, continuemos a contar histórias verdadeiras de pessoas reais. Eu acho que isso está acontecendo, estão surgindo papéis para jovens. É um ótimo momento para as jovens meninas em Hollywood.

Você já trabalhou com atores incríveis. Tem alguém que você considera seu maior mentor?
Eu diria que seria a Reese Whiterspoon. Julia Roberts também vem sendo. Eu sou muito sortuda de estar na presença delas e trabalhar com elas.

Reese é tão generosa, e me levanta. Ela sempre acreditou em mim e me deu tanta confiança que eu sinto que quero fazer isso por outras pessoas também. A Julia também, ela me deu tanto amor, e eu recebi isso nos sets. Elas duas criaram o caminho para meninas como eu.

Estávamos filmando Big Little Lies quando eu consegui o papel em The Society, e eu perguntei pra Reese, ‘Meu Deus, o que eu faço?” E ela me disse pra receber todos em casa para jantar e levá-los para jogar boliche. Foi o que ela fez para nós em Big Little Lies, ela nos levou pra jantar, e isso cria uma comunidade e irmandade que se traduz na tela. E não acabou depois que terminamos de filmar, o que significa muito pra mim. Crescer em sets, você quer ser amigo de todos, mas sua vida acontece e você volta pra escola e volta pra casa e tem que fazer outras coisas, no meu caso, arrumar a cama. E então você acha que acabou e nunca mais vai ver essas pessoas de novo, mas isso não é verdade.

Conversa rápida:

Qual seu item de roupa favorito?
Meu chinelo da Gucci. Eles tem esses diamantes por todo o chinelo e eu tenho eles há alguns anos e provavelmente uso todos os dias.

Quem você ficou mais doida ao conhecer?
Eu conheci Paul Rudd e Donald Glover na premiere de Big Little Lies ao mesmo tempo e eu estava confusa e chocada e foi a primeira vez que isso aconteceu e eu não entendia o que estava acontecendo.

Eu estava com a Zoe Kravitz e ela dizia ‘Oh, o Paul Rudd e o Childish Gambino estão ali’, e eu não conseguia falar. Não sabia porque isso estava acontecendo, e eu imediatamente pedi uma foto. Ficou tremida, mas eu consegui.

Qual conta no Instagram você está obcecada no momento?
É essa conta @memesofthesociety porque eles postam todos esses memes da série e temos um grupo no Instagram com o elenco e estamos constantemente enviando esses memes uns para os outros. Há muitas pessoas talentosas que criam memes por aí.

O que você gostaria que as pessoas soubessem sobre você?
Eu acho que as pessoas pensam que eu tenho um palácio rosa ou algo assim, e eu sou toda fofinha, mas na verdade eu estou usando moletons a maior parte do tempo. Acho que pensam que eu sou um poodle na vida real, mas eu só sou um poodles nas sextas.

Qual foi a última série que você maratonou?
The Crown e Parks and Recreation. Costumava ser The Office, mas já assisti tudo duas vezes, precisei seguir em frente.

Qual é a próxima coisa que você está ansiosa?
Eu estou ansiosa para ir para Paris para o desfile da Dior em julho. É sempre um sonho ir nesses desfiles. Eu choro nessas coisas, todo mundo em Paris é mais chique que eu.

Fonte: InStyle

Kathryn concedey uma entrevista para a Times UK falando sobre a segunda temporada de Big Little Lies. Confira traduzido:

Sendo a filha adolescente furiosa da Reese Witherspoon em Big Little Lies, ou a lívida (e trágica) filha de Frances McDormand em Três anúncios para um crime, ou a indignada Darlene em Lady Bird, a atriz de 21 anos nascida na Flórida definiu “pequena madame” no ano passado. E em três das produções mais aclamadas do ano – que tem 10 Globos de Ouro, oito Emmys e dois Oscars entre as séries e filmes que ela aparece. Então não podemos decidir se é apto ou não quando ela anuncia que seu espírito animal é um poodle.

“Porque eu sou um poodle? Você não descobriu ainda?” ela pergunta, brincando, depois da nossa sessão de fotos. Loira com olhos marcantes, ela é pequena e tem um estilo de boneca, como você poderia esperar; se ela fosse um cachorro, eu diria que ela seria um pequeno cão escocês. Mas ela implora para ser diferente. “Poodles parecem que poderiam estar em um chá da tarde,e eu sinto que eu sempre estou pronta para a hora do chá. Os casacos deles são muito grandes, e os deixa muito macios, e eu me sinto fofa a maioria do tempo. Então…”

Furo do ano: a atriz não é parecida com seus papeis! Temos que desconectar a Newton da tela (ela também faz Amy March na versão recente de Little Women da BBC1) e quem ela é ainda surpreende. Um papel típico de Newton é sujo, cínico e de revirar os olhos; uma conversa típica com Newton é cheia de esperanças, animação e sonhos, muitos sonhos. Entretanto, não pense que ela é uma cabeça de vento de Hollywood – esses sonhos normalmente tem substância. Olhe seu currículo uma vez, ou o conteúdo de sua mochilha: suas leituras atuais incluem O príncipe de Machiavelli, os poemas de Leonard Cohen e seu favorito, Cartas para um jovem poeta, de Rilke. “Eu sou uma artista torturada,” ela suspira, mas ela está rindo, auto-consciente, como ela diz.

Nos encontramos em Londres para conversar sobre seu novo filme “Blockers” lançado na última sexta (nos EUA), onde ela interpreta outra filha rebelde, Julie, dessa vez com Leslie Mann como sua mãe. Julie é uma das três adolescentes que estão determinadas a perder suas virgindades na noite do baile; seus pais estão igualmente determinados a pará-las. Isso não soa auto-biográfico para Newton, que se refere a “uma nerd na vida real, uma palhaça! Pateta, nem um pouco legal.” Ela leva seus pais numa boa (ela é filha única), e diz que não tem um namorado – ela não sabe se teria tempo. Logo parece claro que ela está falando a verdade quando ela passou seu aniversáro de 21 anos em fevereiro no set (“Trabalhar é o melhor aniversário!”), e então comer bolo com os amigos.

“Eu? Uma rebelde? Me deixe pensar.” Ela pensa por um tempo. “Eu como os cheetos picantes. Eu peço batatas fritas sempre que quero. Tão rebelde!” Então ela se esforça mais. “Às vezes, eu toco música muito alto e danço sozinha no meu quarto.” Pelo menos é Future e Drake.

A razão pela qual nos encontramos em Londres é porque Newton está morando lá por um tempo, filmando um papel principal no novo filme do Pokemon. Ela é, vamos deixar claro, uma pessoa, não um Pokemon, mas ela não pode contar muito sobre. Ela assegura que é “o melhor personagem que já interpretei.” O que fica mais real quando ela deixa escapar que é bom “sair um pouco da área de interpretar uma filha, o que quer dizer… Eu ia gostar de interpretar uma filha para sempre,” ela se corrige. “Tem muita vulnerabilidade nisso e intimidade, e eu pude trabalhar com as melhores mulheres ao longo do tempo.”

Ela está certa nisso: sua bolha de “mães” incluem não apenas Witherspoon, McDormand e Mann, mas também Emily Watson (Little Women) e Julia Roberts (no novo filme Ben Is Back). Quem é a mais safada? “Oh! A primeira que veio na minha cabeça foi a Reese, mas pode ser a Fran – ela é muito safada, divertida.” E quem é a mais rigorosa? “Nenhuma delas é rigorosa! Elas são todas muito legais.” Uma pausa. “Na verdade, Reese. Eu contei a ela que eu estava no Uber uma vez, e ela ficou meio, ‘Você não tem permissão de pegar Uber! Não é seguro para você pegar sozinha!’” Witherspoon é também alguém que está sempre incomodando ela para ter uma educação. “Reese quer que eu vá para a faculdade. Cada vez que eu a vejo, ela pergunta, ‘Você já se matriculou?’”

Isso não é delirante, na verdade. Newton poderia ia para a faculdade – ela atua profissionalmente desde que tinha 4 anos, mas enquanto isso, ela frequentou a escola, primeiro na Flórida, depois em Los Angeles. E mais, ela provavelmente entraria na faculdade, com uma bolsa para o golfe. Ela pratica o esporte desde que era jovem (seu pai era seu transporator) e ela foi boa o suficiente para virar profissional; ao invés disso ela começou a pegar papeis maiores, e o resto virou uma bola de neve. “Eu era conhecida como a jogadora na escola,” ela diz. “Eu acho que sempre quis ser uma estrela do futebol. Sabe? Muitas meninas querem ser as líderes de torcida? Não me entenda mal, eu adoraria colocar uma roupa de líder de torcida, porque são muito fofas. Mas eu sempre quis ser uma jogadora de futebol.”

“Fofo” é importante para Newton. Sua missão é deixar o golfe fofo. “Eu mal posso esperar para ter uma linha de golfe,” ela diz. “Eu tenho todos esses looks prontos – preparados e fodas, mas também intensos e ferozes.” Isso é bom de ouvir, eu digo, e eu não tenho certeza se muitas golfistas mulheres são conhecidas como ícones fashion. “Tem várias maneiras de arrasar,” ela encolhe os ombros. “Eu não estou dizendo para usar uma saia short super curta. Apenas se divirta.”

Acontece que Newton é um pouco fashionista. Ela coleciona peças vintage da Chanel, e agora está em uma fase rosa – ela acaba de comprar aqueles “mocassins Gucci de camurça rosa com diamantes”. Entretanto, enquanto Londres congela, hoje ela usa botas de neve da Chanel, uma blusa da Nike, um blazer da Gucci e uma touca, que tem uma capa da Christian Dior que ela mostra no chão, o que é perfeito para sentar enquanto ela está no set. Na maioria das vezes ela usa conjuntinhos, o que é bom, além de quando ela está morando em Marylebone e tentando visitar os locais habituais.

“Eu tentei ir no Chiltern Firehouse em Londres no outro dia para ler, usando calças de moletom, e eles ficaram meio, ‘Não. Estamos cheios,’” ela ri. “Eu disse, ‘Mas é uma terça.’” A resposta foi um firme não. “Eu fiquei, ‘Ok, estou saindo.’”

Talvez deixem ela entrar no Firehouse automaticamente assim que a segunda temporada de Big Little Lies for ao ar. As filmagens começam em maio, e Newton está ansiosa. E parece que ela tem motivo para estar: Abigail tem uma boa história, ela diz, e parece que está linkado diretamente a chegada de uma certa Meryl Streep ao elenco. Quando falo o nome de Meryl, ela quase treme de animação: “Eu queria poder te contar algo agora, mas não posso.” Quem poderia imaginar que ela fazendo isso? Parece uma rebelião.

Fonte: Times UK

DESENVOLVIDO POR lannie d.